quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Monotrilho de Manaus vai sair do Papel na próxima semana

29/09/2011 - A Crítica

A ordem de serviço para a construção do monotrilho deverá ser assinada pelo Governo do Estado, na próxima semana. O anúncio foi feito nessa quarta-feira (28), pelo governador do Amazonas, Omar Aziz, durante a abertura do Seminário ‘Copa 2014: Legado e Sustentabilidade’, no hotel Caesar Business, no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus. 

Durante o evento, que termina nesta quinta-feira (29), Omar Aziz cobrou mais celeridade do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Caixa Econômica Federal na liberação de recursos para obras da Copa 2014 em Manaus.

De acordo com o governador, com a ordem de serviço, a empresa vencedora da licitação inicia o projeto executivo e o delineamento da área onde será realizada a obra para implantação do monotrilho.

Ainda na área de mobilidade, o planejamento do Governo Estadual é lançar, nos próximos dias, a licitação para o projeto da continuação da avenida Governador José Lindoso - popularmente conhecida como "avenida das Torres" -, na Zona Norte de Manaus, obra que está incluída no Programação de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Outro projeto que caminha para licitação nos próximos dias é do Memorial Encontro das Águas, que vai abrigar o "Fun Park", na Zona Leste de Manaus, para a Copa 2014.

No entanto, para que as obras aconteçam dentro dos prazos é preciso maior celeridade no processo de liberação de recursos, afirmou o governador.
Ele ressaltou que a maioria dos recursos aplicados até agora na Arena da Amazônia, cujas obras iniciaram no ano passado, é oriunda dos cofres do Estado, embora  o Governo do Amazonas tenha assinado contrato com o BNDES em dezembro do ano passado.

Omar Aziz frisou, ainda, que para realizar as obras da Copa os governos estaduais das 12 cidades que vão sediar o evento deverão aplicar recursos próprios e de empréstimos realizados com os bancos.

“Não tem recurso a fundo perdido nessas obras", disse ao destacar que os Estados têm responsabilidades a serem cumpridas e que precisam de maior celeridade dos agentes financeiros.

Para as obras da Copa em Manaus, o Governo do Estado contratou R$ 400 milhões com o BNDES, para a construção da Arena da Amazônia, e aprovou outros R$ 600 milhões com a Caixa para a obra do monotrilho, para o qual o Estado também está  negociando com o Governo Federal a liberação de mais R$ 800 milhões. 

Amazonas assina ordem de serviço para monotrilho

28/09/2011 - D24am

O governador do Amazonas, Omar Aziz, confirmou, nesta quarta-feira (28), durante a abertura do Seminário ‘Copa 2014: Legado e Sustentabilidade’, no hotel Caesar Business, que a ordem de serviço para a construção do monotrilho será assinada na próxima semana. Durante o evento, que termina nesta quinta-feira, Omar Aziz cobrou mais celeridade do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Caixa Econômica Federal (Caixa) na liberação de recursos para obras da Copa do Mundo de Futebol de 2014 em Manaus.

De acordo com o governador, com a ordem de serviço, a empresa vencedora da licitação inicia o projeto executivo e o delineamento da área onde será realizada a obra para implantação do monotrilho. Ainda na área de mobilidade, o planejamento do Governo Estadual é lançar, nos próximos dias, a licitação para o projeto da continuação da Avenida Governador José Lindoso, obra que está incluída no Programação de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Outro projeto que caminha para licitação nos próximos dias é do Memorial Encontro das Águas, que vai abrigar o Fã Park da Copa em Manaus.

“A presidente Dilma Rousseff reafirmou o compromisso de ajudar na construção de novas vias para escoar o trânsito na cidade de Manaus. Hoje se discute mobilidade para a Copa falando apenas em transporte de massa. Mas as pessoas que andam em seus carros particulares também querem fluxo rápido. Por isso, esse legado também é importante”, frisou Omar Aziz que, na manhã desta quarta-feira, participou de evento com a presença de Dilma Rousseff em Manaus.

Para o governador, o maior "legado social" que a Copa vai deixar são os projetos que garantam melhoria na qualidade de vida para a população amazônica. “O que é positivo são as obras que vão ficar. O legado que todos nós esperamos que aconteça é melhorar as áreas de segurança, saúde, transporte de massa, rede hoteleira, aeroporto, porto e novas vias para mobilidade urbana. São vários pontos que nós temos que lutar para que aconteça agora por causa da disponibilidade de financiamento”, frisou Omar Aziz.

No entanto, para que as obras aconteçam dentro dos prazos é preciso maior celeridade no processo de liberação de recursos, afirmou o governador. Ele ressaltou que a maioria dos recursos aplicados até agora na Arena da Amazônia, cujas obras iniciaram no ano passado, é oriunda dos cofres do Estado, embora  o Governo do Amazonas tenha assinado contrato com o BNDES em dezembro do ano passado.

Omar Aziz frisou, ainda, que para realizar as obras da Copa os governos estaduais das 12 cidades que vão sediar o evento deverão aplicar recursos próprios e de empréstimos realizados com os bancos. “Não tem recurso a fundo perdido nessas obras", disse ao destacar que os Estados têm responsabilidades a serem cumpridas e que precisam de maior celeridade dos agentes financeiros.

Para as obras da Copa em Manaus, o Governo do Estado contratou R$ 400 milhões com o BNDES, para a construção da Arena da Amazônia, e aprovou outros R$ 600 milhões com a Caixa para a obra do monotrilho, para o qual o Estado também está  negociando com o Governo Federal a liberação de mais R$ 800 milhões.

sábado, 17 de setembro de 2011

BNDES deve financiar parte do monotrilho em Manaus

13/09/2011 - Amazonas Notícias

O governo estadual estuda utilizar a sua capacidade de endividamento definida no Plano Anual de Financiamento (PAF) para investir cerca de R$ 800 milhões do total de R$ 1,4 bilhão que serão destinados à construção do monotrilho em Manaus. O recurso seria financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O PAF é o mecanismo pelo qual os governos estaduais fazem acordo com o tesouro definindo a sua capacidade de endividamento, isso depois de previstas as despesas e receitas. A informação foi dada à senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) pela ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior. “Acredito que em breve o governador Omar Aziz estará dando essa boa notícia aos amazonenses. Isso resolve de vez o problema da mobilidade urbana e consolida nossa capital como sede da Copa do Mundo de 2014’, disse a senadora.

O consórcio vencedor para a construção da obra é composto pelas empresas CR Almeida S/A Engenharia de Obras, Mendes Junior Trading e Engenharia S/A, Serveng Civilsan S/A Empresas Associadas de Engenharia e a Scomi Engineering.



Clique e acesse com seu usuário para ter todos os recursos