sexta-feira, 28 de outubro de 2011

CEF é autorizada a emprestar R$ 800 mi para monotrilho de Manaus

28/10/2011 - Portal da Amazônia

Ampliação do limite de endividamento permite ao Estado financiar R$ 1,3 bilhão para obras de infraestrutura, saneamento e mobilidade

Manaus – Termo de Entendimento para ampliação do limite de endividamento dos estados, assinado nesta quinta-feira, vai permitir ao Amazonas empresar R$ 1,3 bilhão. A maior parte desse montante – R$ 800 milhões – será destinada somente para o projeto Monotrilho, sistema de transporte público orçado em R$ 1,3 bilhão.

Além do monotrilho, a ampliação do crédito fiscal do Governo Amazonense autorizou ainda R$ 87 milhões para o Programa Sócio-ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) e outros R$ 306 milhões para o programa no interior do Estado. O projeto de ligação do acesso da ponte sobre o Rio Negro devem demandar ainda R$ 153 milhões.

O restante do valor referente ao financiamento será destinado para a pavimentação de vias públicas de Parintins (R$ 29,2 milhões) e para a digitalização e modernização do Parque Tecnológico Funtec (R$ 15,3 milhões). “A abertura desse crédito significa a confiança na nossa economia”, comentou o governador do Estado, Omar Aziz.

Os valores serão financiados por meio de empréstimos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e organismos multilaterais, como Banco Mundial (Bird) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Projeto

O consórcio ‘Monotrilho Manaus’ teve a proposta de R$ 1.460.495.221,56 aprovada pela Comissão Geral de Licitação (CGL) para implantar o modelo na capital. O projeto de monotrilho elaborado para Manaus deve atender até 170 mil pessoas/dia. De acordo com o Governo do Estado, o modelo deve reduzir o tempo médio de deslocamento dos passageiros em até 1 hora, em relação ao tempo de percurso da atual frota de ônibus. O modelo, um tipo de metrô de superfície que trafegará em via exclusiva suspenso em vigas, ligará o bairro da Cidade Nova ao Centro, tendo como eixo a avenida Constantino Nery.

Nenhum comentário:

Postar um comentário